terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Uma colisão na Cintura de Asteróides?

Imagem de P/2010 A2 (LINEAR), captada a partir do observatório WIYN (Arizona, EUA), a 11 de Janeiro de 2010.
Crédito: James Annis (Fermilab)/Marcelle Soares-Santos (FermiLab e Universidade de São Paulo)/David Jewitt (UCLA).

Não constitui uma novidade a existência de cometas na Cintura de Asteróides, pelo que a recente descoberta do cometa P/2010 A2 pelo programa LINEAR passaria completamente despercebida, não fosse este objecto somar um conjunto de características insólitas.
Observado pela primeira vez a 6 de Janeiro, P/2010 A2 (LINEAR) é um pequeno objecto de aspecto cometário com um período orbital de 3,4 anos (um período invulgarmente curto para um cometa) e um periélio de 2,0 UA. No passado dia 14 de Janeiro, os astrónomos Javier Licandro, G. P. Tozzi e Tiina Liimets utilizaram o Telescópio Óptico Nórdico instalado em La Palma, nas ilhas Canárias, para obterem uma série de imagens do novo cometa. Para sua surpresa, observaram um pequeno asteróide nas proximidades de P/2010 A2, a deslocar-se à mesma velocidade e na mesma direcção do cometa. Puderam ainda constatar uma morfologia invulgar da cauda cometária. As imagens não revelaram qualquer condensação central típica dos cometas, e a cauda assemelhava-se mais a uma nuvem de poeira, aparentemente associada ao pequeno asteróide.
Com base nas observações, os três astrónomos europeus sugeriram que P/2010 A2 (LINEAR) poderá, na verdade, ser uma nuvem de ejecta formada após uma violenta colisão entre asteróides, um raro fenómeno nunca antes observado. Resta esperar por futuras observações com os telescópios espaciais Hubble e Spitzer para esclarecer a verdadeira natureza deste objecto bizarro.

2 comentários:

  1. Nem no espaço sideral se respeitam os semáforos! Incrível!!!

    ResponderEliminar
  2. LOL
    E aqui também parou tudo para ver os estragos.
    :-)

    ResponderEliminar